TAMANDUAS DO ASFALTO"

MANUAL DO BOM GARUPA



Escreve-se muito sobre motos e condução, mas esquece-se esse elemento fundamental do mototurismo que é o/a GARUPA. Comecemos por uma regra que
consideramos da máxima importância, sobretudo se a experiência de garupa é pouca: O garupa é carne morta! Deve, por conseguinte, permanecer no seu
poleiro, muito quieto e calado, e não tentar ajudar em nada. Vale mais nada fazer do que fazer mal.
Passada a piada, vamos então às regras, para recortar, plastificar e grampear nas costas do blusão do condutor.

01. Nunca subir ou descer da moto, sem prévio conhecimento do condutor.Já vimos muito motociclista ser desequilibrado assim, sobretudo se o piso é irregular,
ou se o condutor é de perna curta, ou ainda se a moto está carregada.
02. Ajudar nas manobras de entrada e saída de estacionamento, sobretudo se é necessário 'engrenar' a marcha ré.
03. Em andamento, evitar movimentos bruscos, do tipo olhar para trás, no final das retas, e dizer: "Olha que já não vejo nenhuma moto!"
04. O garupa é o tesoureiro do grupo, no tocante ao pagamento de pedágios. Deve, ter sempre à mão os meios de pagamento necessários.
05. Igualmente, é o navegador do grupo.
06. O garupa pode ajudar nas curvas, espreitando sempre por dentro e apoiando-se, fortemente, em ambas as pedaleiras. A transferência de
peso para as pedaleiras (pedais de apoio) torna a moto mais manobrável.
07. Pela mesma razão, deve-se apoiar mais fortemente nas pedaleiras quando a moto circula, devagar, entre o trânsito.
08. Idem, quando circula em piso irregular, com a vantagem, neste caso, de levar menos pancada no lugar onde a espinha muda de nome.
09. Não adormecer, sobretudo em percursos sinuosos, ou de piso irregular.
10. Nas freadas e arranques, deve apoiar-se nas alças e não no condutor.
11. Quando a moto parar, não pôr os pés no chão, pois em vez de ajudar, só desequilibra. Deixe que o ondutor cuide disso.
12. Em velocidade, ou se está muito vento, juntar-se o mais possível ao corpo do condutor, evitando assim a oscilação. Se o condutor
não for muito 'largo', apoiar-se no tanque.
13. O garupa está, rigorosamente, proibido de olhar para o velocímetro e expressar a sua aprovação (ou eprovação) com apertos de joelhos,
murros nas costas do condutor, etc...
14. Não esquecer, que a partir dos 70-80 Km/h, acaba a conversa, pois o vento não deixa.
15. Quando circula a mais de 200 Km/h, não deve acenar aos outros motociclistas, sob pena de deslocar um braço.
16. Nas mesmas circunstâncias, evitar calçar as luvas, ajeitar o capacete, os óculos ou o penteado.

BAGAGEM
Você pode carregar sua bagagem de duas maneiras: em uma bolsa sobre o banco traseiro ou com alforjes.
Quando você usa uma bolsa sobre o banco, tome cuidado de prendê-la corretamente para que durante a viajem ela não ameace cair e você ter que ficar
parando. A melhor forma de prendê-la é utilizando as chamadas "aranhas" (rede de elásticos) que fixada nas pedaleiras traseiras ou embaixo do banco,
dão firmeza a sua bolsa.Se a necessidade apontar para os alforjes, tome a atenção de distribuir o peso de forma igual para que não pese mais de um lado
alterando sua pilotagem.É sempre bom lembrar, quando colocar sua capa de chuva, em um alforje, coloque bem em cima como último item, para facilitar na hora
do uso. Se você estiver usando uma bolsa sobre o banco, deixe o pacote da capa por cima da bolsa e tenha sempre um saco de lixo para embrulhar sua bolsa,
pois geralmente elas não são a prova d'agua.
O que levar no macacão? Três coisas facilitam sua vida: a carteira; uma cópia da chave da moto; e o celular. Em caso de parar para abastecer ou dar
explicações a polícia! É melhor estar no bolso que no fundo da bolsa toda amarrada! É sempre bom carregar a chave no bolso do macacão, afinal você nunca
espera perdê-la, mas se caso acontecer é melhor ir até o hotel onde está o macacão do que ter que ir em casa buscar! E o celular pode lhe ajudar se estiver
junto ao corpo em um caso de emergência.