"TAMANDUAS DO ASFALTO"
PROCEDIMENTO DE VIAGEM

• I – INTRODUÇÃO
• A viagem em grupo é uma das principais atividades do Moto Clube, e também a que mais exige atenção de seus associados e convidados.
• O correto planejamento e execução da viagem são fundamentais para a redução dos riscos e maximização do espírito de equipe e do lazer auferido.

• II – OBJETIVOS
• Estabelecer um procedimento para o planejamento e execução de viagens em grupo.

• III – GLOSSÁRIO • Consideram-se aqui as seguintes definições:
• viagem em grupo: qualquer deslocamento de motociclistas, desde que representando o mesmo, com a presença de um mínimo de três motociclistas;
• guia: motociclista que irá à frente do grupo nos seus deslocamentos;
• ferrolho: motociclista que irá na última posição do grupo nos seus deslocamentos;
• chefe de viagem: motociclista que coordena as atividades da viagem;
• CNT – Código Nacional de Trânsito;
• CNH – Carteira Nacional de Habilitação;
• esticar – aumentar, momentaneamente, a velocidade para descarbonizar o motor.

• IV – PROCEDIMENTOS
• IV – 1 – PLANEJAMENTO
• O Presidente, durante a fase de preparação da viagem, deve verificar o Registro R-01 – Ficha dos Motociclistas, e, se não estiver completa,
deve solicitar as seguintes informações dos motociclistas:
• número do documento de identidade;
• número da CNH;
• tipo sanguíneo;
• informações médicas importantes em caso de acidente (como alergias a medicamentos, por exemplo).

• O Presidente, durante a fase de preparação da viagem, deve:
• escolher o Chefe de Viagem, e comunicar esta decisão aos demais motociclistas;
• o próprio Presidente poderá, em caráter excepcional, assumir este cargo;
• o Chefe de Viagem deve preferencialmente, ser um motociclista experiente, que conheça o trecho a ser percorrido e que conheça bem as regras
de viagem em grupo, além de contar com o respeito do grupo de motociclistas;

• IV – 2 – REVISÃO PRÉ-VIAGEM
• Os motociclistas, antes do início da viagem, devem:
• comparecer ao local determinado para a partida, com um mínimo de 30 minutos de antecedência;
• com a motocicleta abastecida, com pneus calibrados e em condições adequadas para a viagem;
• portando o traje e capacete adequados (incluindo o carona, se aplicável);
• O Chefe de Viagem, antes do início da viagem, deve realizar as seguintes verificações:
• se todos os motociclistas estão devidamente trajados (usando luvas, casaco, sapato fechado sem salto);
• se todos os motociclistas e caronas estão utilizando capacetes certificados pelo INMETRO;
• se todas as motocicletas estão devidamente abastecidas e em condições técnicas (particularmente pneus) para rodar;
• se todos os motociclistas estão portando seus documentos (são obrigatórios, no mínimo, os documentos exigidos pelo CNT).

• O Chefe de Viagem, antes do início da viagem, deve:
• escolher o Guia;
• o Guia deve, preferencialmente, ser um motociclista experiente, que conheça o trecho a ser percorrido e que conheça bem as regras de viagem em grupo;
• escolher o Ferrolho;
• o Ferrolho deve, preferencialmente, ser um motociclista experiente, que possua um motocicleta com potência superior à média do grupo e que conheça
bem as regras de viagem em grupo;
• esclarecer as regras da viagem aos motociclistas presentes;
• apresentar, aos demais motociclistas, os motociclistas novatos eventualmente presentes;
• determinar a velocidade média a ser utilizada pelo Guia;
• determinar os locais de parada, para reabastecimento e/ou alimentação.

• IV – 3 – VIAGEM
• Durante a viagem, o Chefe de Viagem deve:
• orientar e controlar a execução da viagem, dentro das regras definidas pelo CNT;
• substituir o Guia ou o Ferrolho, quando necessário;
• orientar os motociclistas sobre eventuais falhas de conduta;
• observar o comportamento de motociclistas novatos;
• estabelecer sanções a qualquer motociclista, incluindo, excepcionalmente, a exclusão deste do grupo, quando observar falhas de conduta;
• relatar, após a viagem,– Relatório de Viagem, os acontecimentos da mesma.

• Durante a viagem, o Guia deve:
• seguir na frente do grupo, orientando sobre o percurso a ser seguido;
• ao parar em postos de gasolina ou lanchonetes, escolher um que esteja do lado direito da pista, para evitar cruzar a pista;
• permitir a ultrapassagem de outros motociclistas, desde que temporária;
• manter a velocidade média abaixo do limite de risco do trecho percorrido e dentro do padrão estabelecido antes da viagem.
• Durante a viagem, o Guia não pode esticar, exceto sob autorização do Chefe de Viagem, que o substituirá durante o período em que estiver fora da formação.

• Durante a viagem, o Ferrolho deve:
• seguir no fim do grupo;
• parar para dar socorro a outros motociclistas, quando necessário;
• não permitir que qualquer motociclista do grupo fique atrás dele;
• informar ao Guia sobre eventuais emergências;
• orientar os eventuais motociclistas novatos, ao longo do percurso, sobre atitudes indevidas.
• Durante a viagem, os motociclistas (incluindo o Chefe de Viagem, o Guia e o Ferrolho) devem seguir as seguintes regras:
• obedecer as orientações do Chefe de Viagem, do Guia ou do Ferrolho, sem discussões;
• qualquer discordância do motociclista em relação às orientações do Chefe de Viagem, do Guia ou do Ferrolho deve ser apresentada pelo motociclista,
após o término da viagem;
• antes de ultrapassar o Guia, solicitar autorização do mesmo mediante sinais de farol ou buzina;
• um motociclista pode esticar, desde que não fique fora de vista do Guia e retorne à formação logo após a esticada;
• a formação do grupo deverá ser em duas filas indianas, paralelas e intercaladas, evitando-se o emparelhamento de motocicletas;
• as motocicletas andarão sempre enfileiradas, do seguinte modo: a primeira seguirá pelo lado esquerdo da faixa de direção; a segunda ficará do lado direito,
dentro da mesma faixa, alguns metros atrás da primeira e assim sucessivamente;
• acredita-se que esse modo de pilotagem tenha, como vantagens, permitir a todos, quando necessário, a realização de frenagem, sem comprometer os outros
motociclistas e não prejudicar a ampla visão que o motociclista deve ter da estrada;
• duas ou mais motocicletas não devem dividir a mesma faixa da estrada (andar lado a lado);
• manter uma distância mínima entre as motocicletas, proporcional à velocidade;
• todos os motociclistas devem estar, sempre, visualizando a motocicleta da frente e de trás;
• antes de realizar ultrapassagens, a outras motocicletas do grupo, avisar via sinalização de luz ou buzina;
• não realizar ultrapassagem, a outra motocicleta do grupo, quando esta se prepara para ultrapassar qualquer veículo;
• não efetuar frenagens bruscas sem aviso prévio ao motociclista que vem atrás;
• quando estiverem duas ou mais motocicletas, a moto da frente deverá estar sempre na esquerda da pista;
• respeitar as normas de trânsito, estabelecidas no CNT, para que não ponha em risco a vida dele e/ou a de terceiros;
• não realizar ultrapassagens dentro da mesma faixa de direção;
• não fazer uso de bebidas alcoólicas, sob quaisquer hipóteses, imediatamente antes e durante a viagem;
• informar ao Guia ou ao Ferrolho sobre a necessidade de realizar paradas (por qualquer motivo);
• informar, mediante sinais de mão, ao motociclista que vier atrás sobre perigos iminentes (como buracos, cruzamentos perigosos, etc.);
• ao parar para dar apoio a outro motociclista ou veículo, informar ao Ferrolho.
• Qualquer motociclista poderá se deslocar até o Guia ou ao Ferrolho para comunicar eventual necessidade de interrupção do percurso.

• Todos os sinais serão efetuados com a mão esquerda
• Mão espalmada para cima: Perigo a Frente.
• Dedo indicador apontado para cima: Chuva.
• Dedo indicador apontado para baixo: Pare atrás de mim.
• Dedo polegar apontado para trás: Olhe no seu retrovisor.
• Dedo indicador apontado para cima fazendo círculos: Polícia ou radar
• Quatro dedos apontados para baixo: Animais na pista
• Dedo indicador e polegar em forma de circulo: Acenda o Farol
• Dedo indicador e médio em forma de “V”: Mantenha a fila dupla
• Mão espalmada batendo no tanque: Parar para abastecimento
• Mão espalmada para cima, em movimentos: Aumente a velocidade
• Mão espalmada para baixo em movimentos: Reduza a velocidade
• Pé direito ou esquerdo fora do estribo com movimento para baixo atenção buracos na pista.